Dentre vários relatórios financeiro existentes em uma empresa, o balanço patrimonial é um dos mais importantes. Apesar de ter toda essa importância, ele ainda sofre com a negligencia de alguns empreendedores, mesmo sendo um item obrigatório para as empresas, segundo a legislação.

balanço patrimonial

O que é o Balanço Patrimonial?

Balanço Patrimonial é uma demonstração contábil para empresas, responsável por uma avaliação qualitativa e quantitativa do negócio.

Esse documento apresenta a posição patrimonial e financeira da empresa sobre um período determinado (normalmente anual)

Para quê serve o Balanço Patrimonial

É uma das principais ferramentas para avaliar a posição contábil e financeira da empresa, já que leva em conta não apenas o caixa, mas também propriedades, dívidas e pagamentos a receber.

Ou seja, apesar do fluxo de caixa ser essencial, ela é apenas uma pequena parte do balanço patrimonial, que dá uma visão bem mais completa para a análise do resultado econômico do seu negócio.

O nome “balanço” vem de “balança”. Qual a finalidade de uma balança? Pesar as mercadorias, não é?

Pois, o Balanço Patrimonial também tem essa finalidade: pesar ativos, passivos e patrimônio líquido (veja mais abaixo a definição desses 3 elementos).

Quando e para que tipos de empresa o Balanço Patrimonial é obrigatório

Se a utilidade do balanço não foi o suficiente para fazer com que o levasse mais a sério e usá-lo como ferramenta de análise, é oportuno lembrar que se trata de um documento obrigatório para qualquer tipo de empresa no Brasil (menos o MEI).

Ao mesmo tempo, o único tipo de profissional que pode fazer um balanço patrimonial é um contador (devidamente inscrito no Conselho Regional de Contabilidade, CRC) e deve ser feito pelo menos anualmente (mas o controle é mensal com os balancetes).

Por isso, você, como empresário, precisa cobrar do seu contador não só a confecção do balanço patrimonial, como a qualidade dele – garantindo assim uma boa ferramenta de análise do seu negócio.

Dados analisados pelo balanço patrimonial

Ativo

É composto por todos os bens da entidade, entre eles: créditos, direitos e valores. Dentro do ativo existem subdivisões:

  • Ativo Circulante: tudo o que a empresa tem para fazer operações financeiras de curto prazo, como o valor em caixa ou estoque para entregas;
  • Ativo Não-Circulante: são os ativos que não estarão disponíveis dentro do período anual, e ele inclui tudo o que é usado como parte da empresa, ou seja, aquilo que é necessário para que ela funcione, como equipamentos, depósitos e veículos.

Passivo

É o saldo de obrigações que a empresa tem a arcar. É uma conta a se pagar, mas que provavelmente irá gerar lucros sobre ela posteriormente. O passivo é dividido em:

  • Passivo Circulante: todas as dívidas que poderão ser quitadas dentro de um ano ou menos, como impostos e salários;
  • Passivo Não-Circulante: dívidas a longo prazo e que possivelmente trarão retorno para o negócio, como investimento em novos produtos ou a compra de um espaço de publicidade.

Patrimônio Líquido

É o que foi investido no início da empresa pelos sócios e os reinvestimentos feitos a partir dos lucros obtidos pela própria empresa. Essa dívida com os sócios, no entanto, não tem como ser executada.

Concluindo, o balanço patrimonial é a demonstração contábil que evidencia num determinado momento a situação econômica e financeira do patrimônio de uma empresa. É possível entender e estudar os atos administrativos que podem afetar o patrimônio, objeto de controle no ativo e passivo compensado. A visão que o balanço patrimonial passa é sempre estática e procura mostrar a realidade do patrimônio da entidade em uma data específica.

Fonte 1, Fonte2

Balanço Patrimonial: Qual a sua importância?
Classificado como:

Uma ideia sobre “Balanço Patrimonial: Qual a sua importância?

Deixe uma resposta